À Deriva | Entrevista

13 de Março de 2007

À Deriva é formado pelos músicos Beto Sporleder (sax e flauta), Rui Barossi (contrabaixo), Guilherme Marques (bateria e percussão) e Daniel Muller (piano). Há dois anos o grupo vem se apresentando com sucesso no cenário jazzístico paulistano com um repertório de música instrumental pouco comum. As diversas influências da música contemporânea trouxeram ao À Deriva a espontaneidade da improvisação coletiva a partir de composições próprias. Em 2006 lançaram seu primeiro CD, intitulado À Deriva.

Perguntas

  1. - Vocês sabiam que o Roberto Menescal compôs o "O Barquinho" à deriva num barquinho, não faz parte desse conceito de vocês de fazer uma música solta, desse jeito de compor? Diz aqui algo sobre música contemporânea improvisada, o que é isso?
  2. - O que é esse jazz europeu?
  3. - É música experimental mas feita com essa formação tradicional?
  4. - Eu percebi na passagem de som que você faz um desenho maior no baixo, tem mais notas? E na bateria funciona assim também?
  5. - Quais são as influências na bateria?
  6. - E no baixo, quem são os caras?
  7. - Vocês estavam brincando quando a gente separou as duplas para a entrevista que vocês são os peões da banda e a outra parte são os intelectuais da história. Isso tem a ver com a formação de vocês?
  8. - Por que vocês são a parte intelectual da banda?
  9. - Você toca dois instrumentos, um deles é uma Fender que muita gente encara como um ícone pop?
  10. - E qual é a característica desse piano, teclado, que é muito querido pelos músicos?
  11. - E os arranjos do À Deriva, como é que vocês dividem isso?
Voltar ao topo

Programação SescTV

31 de Outubro

  • 14:00Passagem de Som - Carlos Malta e Pife Muderno
  • 14:30Instrumental Sesc Brasil - Carlos Malta e Pife Muderno
  • 18:30Passagem de Som - Sidiel Vieira
programação completa