Fabienne Magnant | Bate-Papo

23 de Julho de 2018

A violonista e violeira francesa apresenta parte do seu repertório solo que vão desde a música brasileira e flamenca, com composições em violão e viola caipira. A artista segue em simultâneo na carreira de intérprete e de compositora com os seus três instrumentos: violão clássico, flamenco e a viola caipira.

Perguntas

  1. Esse é um violão dobro?
  2. O que você mais gosta da música brasileira, já que você terminou o show com um clássico da nossa música?
  3. Como se deu o encontro de vocês?
  4. Quais as inspirações e as referências ibéricas na música e no seu violão?
  5. Há uma guitarra ou um violão francês tradicional?
  6. No concerto que você realiza na Europa percebe-se que a viola caipira desperta interesse do público europeu? Conhece outros músicos que tocam a viola caipira?
  7. Fale um pouco sobre a música “Fragrância de Recife”?
  8. Disserte sobre a informação: “existe dois tipos de bis, o hipócrita e o não-hipócrita”.
  9. De onde veio a paixão pela viola caipira?
  10. Por que Fabienne não usa a sua voz junto do violão?
  11. Quais os conselhos para se tornar um violonista bem sucedido?
  12. Como foi encontrar um roqueiro?
  13. No Brasil a viola tem muitas penetrações religiosas e folclóricas. Na França, cultiva-se a tradição dos povos antigos na música?
  14. Como foi o seu encontro com Baden Powell?
Voltar ao topo