William Alves | Bate-Papo

27 de Novembro de 2017

O vencedor da 17ª edição do BDMG Instrumental revela o talento da nova geração da música instrumental mineira. O músico traz como referência os consagrados Moacir Santos, Letieres Leite, Orkestra Rumpilezz e Banda Mantiqueira, além das canções autorais “O Agente” e “Serenata”.

Perguntas

  1. William, tem uma coisa muito forte nesse show com o seu papel de arranjador. Essa coisa de você arranjar vem desde pequeno ou veio depois de você se formar?
  2. E uma outra coisa que é muito notável é o que Camila e Paulo seguram a onda aqui principalmente nessas duas músicas, como é o trabalho nessa formação?
  3. Camila, como é fazer esse trabalho aqui?
  4. Danilo, de onde veio a inspiração para tocar trombone?
  5. Vitor, conta a sua história com o sax tenor, como foi?
  6. Tiago, e a sua história com o sax barítono?
  7. Eduardo, você pode comentar o arranjo que o sexteto fez para a sua composição que fechou lindamente o show de hoje, como você recebeu esse arranjo?
  8. Por que a opção de não ter instrumentos de harmonia como o piano ou guitarra?
  9. Quais as suas referências como arranjador?
  10. O que é ser músico? Todos vocês vivem de música?
Voltar ao topo

Programação SescTV

31 de Outubro

  • 14:00Passagem de Som - Carlos Malta e Pife Muderno
  • 14:30Instrumental Sesc Brasil - Carlos Malta e Pife Muderno
  • 18:30Passagem de Som - Sidiel Vieira
programação completa