Rogério Botter Maio | Bate-Papo

15 de Maio de 2017

O baixista, compositor, arranjador e produtor musical cursou a faculdade de música na UNICAMP. Viveu na Europa, onde estudou música erudita e jazz, e em Boston, na Berklee College of Music. Atuou com nomes como Paquito d'Rivera, Dom Salvador, Lionel Hampton e Hendrik Meurkens. Como compositor, lançou os discos “Crescendo” (1996) e “Aprendiz” (2000). Foi membro do Nelson Ayres Trio de 1999 à 2005. Lançou em 2006 o CD “Prazer da Espera” com participações de Ná Ozzetti, Proveta, Teco Cardoso, Caíto Marcondes, Nelson Ayres, entre outros.

Perguntas

  1. Internamente os arranjos são uma questão muito debatida entre os músicos mas, para o público, essa questão às vezes fica invisível. Quais os desafios de fazer um arranjo para músicas de terceiros e, quais os desafios de fazer um arranjo para esse noneto, com características de câmara tão fortes?
  2. Existem três instrumentos pouco comuns aqui no Instrumental Sesc Brasil como o oboé, a trompa e a tuba. Como esses instrumentos entraram na configuração da banda?
  3. Qual seria a "dica de ouro" para novos arranjadores?
  4. É fácil reunir esses nove músicos nos ensaios e nos shows?
  5. Com quem você estudou e quais as suas influências em composição e arranjo?
  6. Fábio, fale um pouco da sua visão de improviso? Tem alguma dica sobre o improviso que vocês fazem?
  7. Rogério, tem muito improviso nesse trabalho ou está tudo escrito?
Voltar ao topo